Tempo Porto Vitoria
Recentes
CONVITE GINCANA UNIFICAÇÃO DAS FAMILIAS - Terça, 12 Dezembro 2017 16:38
Convite Aniversário do Município. - Quinta, 23 Novembro 2017 16:56
errata - Terça, 21 Novembro 2017 13:51
53 anos de Porto Vitória - Segunda, 13 Novembro 2017 11:51
REFIS 2017 - Terça, 07 Novembro 2017 13:57

Facebook

Secretaria de Assistência social, Habitação, Politica para as Mulheres e Inclusão Social

Secretaria de Assistência social, Habitação, Politica para as Mulheres e Inclusão Social (12)

Compete a Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação, Políticas Para  as Mulheres e Inclusão Social bem como: coordenar o Sistema Único de Assistência Social (SUAS) no município de Porto Vitória em conformidade com a Política Nacional de Assistência Social vigente; Gerir o Fundo Municipal de Assistência Social (FMAS) e estabelecer políticas de aplicação de recursos, em conjunto com o Conselho Municipal de Assistência Social; Acompanhar, avaliar e decidir sobre a realização das ações previstas no Plano Municipal de Assistência Social; Organizar, coordenar e gerir a rede municipal de inclusão e proteção social composta pela totalidade dos benefícios, serviços, programas, e projetos existentes na sua área de atenção; Elaborar e submeter à aprovação do CMAS o Plano Municipal de Assistência Social em consonância com a Lei de Diretrizes Orçamentárias; Elaborar o plano de capacitação de recursos humanos; Ordenar empenhos e pagamentos das despesas do fundo; Firmar juntamente com o poder executivo, termos de colaboração pertinentes aos exercícios de suas atividades,   e submeter à aprovação do CMAS os padrões mínimos de qualidade dos serviços socioassistenciais; Elaborar e submeter a aprovação do CMAS os instrumentos de gestão; Elaborar e submeter à aprovação do CMAS o plano de monitoramento e avaliação dos serviços socioassistenciais; Organizar e executar programas de capacitação sistemática de técnicos, conselheiros e dirigentes de entidades; Elaborar os critérios de partilha e de transferência de recursos alocados no FMAS, oriundos do tesouro federal, estadual e municipal e de sua função; organizar os serviços de forma descentralizada, considerando as especificidades sócio-territoriais; Definição de bases de financiamento da política municipal de assistência social, considerando as determinações do Sistema Único de Assistência Social, compreendendo os níveis de complexidade, territorialização e contrapartida; executar os benefícios eventuais, serviços assistenciais, programas e projetos de forma direta e coordenar a execução realizada pelas entidades e  organizações da sociedade civil; Definir padrões de qualidade, formas de acompanhamento, monitoramento e avaliação das ações governamentais e não governamentais de âmbito local; Executar, manter e aprimorar o sistema de gestão da política e dos serviços de assistência social, respeitando as diretrizes preconizadas pela Política Nacional de Assistência Social; comando único das ações, participação da população, primazia da responsabilidade do estado e centralidade na família, e os princípios: supremacia do atendimento às necessidades sociais sobre as exigências de rentabilidade econômica, universalização dos direitos sociais, respeito a dignidade do cidadão, igualdade de direitos no acesso ao atendimento, divulgação ampla dos benefícios, serviços, programas e projetos sócio assistenciais, dos critérios para sua concessão e controle das ações, com o envolvimento e articulação dos Conselhos Municipais e executar outras atividades afins no âmbito de sua competência; Realizar as ações bem como as exigências da abordagem intersetorial e em rede socioassistencial, inserindo o planejamento, o monitoramento e a avaliação como instrumentos fundamentais a uma gestão estratégica e à qualidade dos serviços ofertados a população; Definir diretrizes e prioridades, bem como conduzir a política habitacional no Município; efetuar estudos sobre as áreas disponíveis no Município para aplicação em programas habitacionais de interesse social; buscar recursos por meio de convênios e outras parcerias com as demais esferas de Governo estadual e federal e setores privados, a fim de custear projetos habitacionais no Município; promover auxilio técnico aos membros do Conselho Municipal de Habitação, no Plano Municipal de Habitação de Interesse Social e no Fundo Municipal de Habitação; executar outras tarefas correlatas ao cargo que lhe forem designadas por seu superior;  Elaborar  e  coordenar  planos,  programas  e  projetos  relativos  à  questão  da  Mulher  no  âmbito do Município, dentro da proposta orçamentária da Secretaria; elaborar  e  executar,  em  conjunto  com  outras  Secretarias  e  órgãos  da  Administração, políticas públicas nas áreas que interferem diretamente na situação da Mulher na sociedade; propor  medidas  e  atividades  que  visem  à  garantia  dos  direitos  da  Mulher,  à  eliminação  das discriminações e à plena inserção da Mulher na vida econômica, social, política e cultural do Município; desenvolver estudos e pesquisas relativos à condição feminina e sistematizar as informações para a montagem de banco de dados sobre a situação da Mulher no Município;  colaborar  com  os  demais  órgãos  da  Administração  Municipal  no  planejamento  e  na  execução  das ações referentes à Mulher; coordenar  e  implementar  campanhas  institucionais  relativas  às  questões  de  gênero,  utilizando material de divulgação, junto à população do Município; promover  o  planejamento  estratégico  institucional  no  órgão  de  sua  competência, elaborar e divulgar, por meios diversos, material sobre a situação econômica, social, política e cultural da mulher,  seus  direitos  e  garantias,  assim  como  difundir  textos  de  natureza      educativa  e denunciar  prática,  atos  ou  meios  que,  direta  ou  indiretamente,  incentivem  ou  revelem  a discriminação da Mulher ou, ainda, restrinjam seu papel social,  visando  a  suprimir  discriminações,  em  razão  do  sexo,  nas  relações  entre  esses profissionais e entre eles e o público; Desenvolver outras atividades que promovam o bem estar da população em geral no âmbito de sua área de atuação.

Endereço: Rua Oswaldo Gomes da Silva, 717
Horário de atendimento: das 08:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00 horas
Telefone: (42) 3573 – 1212
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Secretária de Assistência Social: Izabel Zamboni

Sub-categorias

Centro de Referência de Assistencia Social Karen Neumann

Centro de Referência de Assistencia Social Karen Neumann (7)

O Centro de Referência de Assistência Social KAREN NEUNAMM é o sistema governamental responsável pela organização e oferta de serviços da Proteção Social Básica.  Possui uma equipe de trabalhadores da política de assistência social responsáveis pela implementação de serviços e projetos de proteção  social básica e pela gestão articulada no território de abrangência, sempre sob orientação do gestor municipal. Esse conjunto de trabalhadores é denominado ‘equipe de referência do CRAS’.

PRINCIPAIS AÇÕES OFERTADAS PELA EQUIPE DE REFERÊNCIA  DO CRAS

  • Recepção e acolhida
  • Proteção Social Básica
  • Acompanhamento familiar
  • Visitas domiciliares
  • Busca ativa para  identificar as necessidades da família e comunidade
  • Atendimento à demanda espontânea e encaminhamentos para a rede sócio-assistencial e das demais políticas afins
  • Intermediação de benefícios eventuais
  • Acompanhamento e orientação psicossocial às famílias
  • Orientação e apoio sócio-educativo às famílias e comunidade
  • Promoção para inserção no trabalho e geração de renda
  • Avaliação, cadastro e monitoramento dos Programas Sociais Bolsa Família, BPC (Benefício de prestação Continuada), Programa Leite das Crianças, Programa Família Paranaense
  • Acompanhamento das condicionalidades dos Programas Sociais
  • Reuniões e palestras sócio-educativas
  • Cursos de geração de renda e profissionalizantes
  • Encaminhamento para atendimento jurídico
  •  Encaminhamento para a rede de proteção;
  • Oficinas de artesanato, de convivência e fortalecimento de vínculos

 O CRAS DISPONIBILIZA OS SEGUINTES SERVIÇOS E PROGRAMAS:

  • PAIF - Programa de Atenção Integral a Família
  • Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos - SCFV
  • Atendimentos socioassistenciais 
  • Encaminhamento para o BPC - Benefício de Prestação Continuada
  • Benefícios Eventuais: cesta básica, auxilio natalidade e auxílio funeral
  • Cadastro no Programa Cadastro Único para benefícios sociais, Programa Bolsa Família, Programa Leite das Crianças
  • Emissão segunda via CPF
  • Emissão Carteira de Trabalho
  • Emissão Carteira de Identidade
  • Emissão Carteira do Idoso
  • Encaminhamento para baixa renda da luz e água

COMPOSIÇÃO EQUIPE DE REFERÊNCIA DO  CRAS

  • Coordenadora: Elza Amélia Schneider
  • Técnica de Referência Assistente Social: Tatiane Savi
  • Técnica de Referência  Psicóloga: Cristiane Mary Baniski
  • Auxiliares Administrativos: Carina Aparecida Dlugovitz; Ana Paula Kochinski; Facilitador de  Informática: Vilmar Treuke
  • Orientadoras Sociais: Lucimara Bohrer; Cristinane Dlugovitz Bueno; Nathana Colombo; Deize Rodrigues; Marisleia de Fátima Grobe;
  • Zeladoras: Rosana Mazur Almeida; Indiamara Mench; Roseli Terezinha Kerber; Alice Maria Wasen.

CRAS
Endereço:
Rua Athanásio Schick, 365
Horário de atendimento:
das 08:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00 horas
Telefone:
(42) 3573– 1623
E-mail:
cras@portovitoria.pr.gov.br

 

 

Ver itens ...
Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (0)

    O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA é órgão deliberativo da política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente e controlador das ações do Executivo no sentido de sua efetiva implantação, em respeito ao princípio constitucional da prioridade absoluta à criança e ao adolescente e às disposições da Lei nº 8.069/90.

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente é composto por 08(oito) membros efetivos e suplentes em igual número, observada a composição paritária de seus membros, nos termos do artigo 88, inciso II, da Lei n° 8.069/90 nos seguintes termos: 04 representantes do Poder Público Municipal; 04 representantes de entidades não governamentais de defesa e atendimento dos direitos da criança e do adolescente.

Ver itens ...
Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa

Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (0)

      O Conselho Municipal do Idoso é órgão de representação dos Idosos, e de interlocução junto à comunidade e aos poderes públicos na busca de soluções compartilhadas.

O Conselho deve estar em sintonia com as políticas nacional e estadual e se adequar às regras e leis aprovadas e regulamentadas. Torna-se importante reconhecer a necessidade de interpretações legais, uma vez que a legislação é um mecanismo inserido na sociedade e que esta, não se apresenta de forma estática.

O Conselho Municipal deve estar aberto a participação das diversas tendências políticas e ideológicas, o que o torna mais representativo em seus municípios e perante os demais organismos de poder. Por essa razão, o Conselho não deverá estar atrelado a nenhum partido político.

O Conselho Municipal deve promover amplo e transparente debate das necessidades e anseios dos idosos, encaminhando propostas aos poderes municipais, principais responsáveis pela execução das ações. O papel do Conselho é consultivo, normativo, deliberativo e formulador de políticas dirigidas à pessoa idosa.

O Conselho deve se aproximar do poder Público Municipal e dos órgãos de representação Estadual e Nacional estabelecendo, na medida do possível, interfaces que possam ajudar na construção de uma sociedade mais organizada e participativa.

Ver itens ...
Quarta, 29 Novembro 2017 17:20

CONVITE AUDIÊNCIA PUBLICA

Escrito por

Convidamos os munícipes de Porto Vitória-PR para participarem de AUDIÊNCIA PÚBLICA a ser realizada no dia 12 de dezembro ás 9h nas dependências do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) sito a Rua Athanasio Schick, 365.

         Conforme a Resolução do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) n° 14 de 15 de maio de 2014, que dispõe no Art. 14. O Conselho de Assistência Social deverá promover, pelo menos, uma audiência pública anual com as entidades ou organizações de Assistência Social inscritas, bem como as que ofertam serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais com o objetivo de efetivar a apresentação destas à comunidade, permitindo a troca de experiências e ressaltando a atuação na rede socioassistencial e o fortalecimento do SUAS.

FAMÍLIAS BENEFICIÁRIAS DE PROGRAMAS SOCIAIS do Governo Federal que têm direito a receber kits gratuitos com antena e conversores com controles remotos para o acesso à TV digital. O cadastramento é feito no Centro de Referência da Assistência Social  Karen Neumann.

Cadastramento

A lista de beneficiários que têm direito a receber o kit gratuito é definida a partir de dados do Cadastro Único para Programas Sociais do Ministério do Desenvolvimento Social Agrário. Para se cadastrar o beneficiário deve apresentar o Número de Identificação Social (NIS) CPF e RG e solicitar o kit.

 A entrega do material será feita pelos Correios, que também integra a ação da Seja Digital e fará ainda a orientação para instalação. 

Beneficiários podem fazer também fazer o cadastramento para solicitar o kit pelo telefone 147, a ligação é gratuita, ou pelo site www.sejadigital.com.br.  Mais informações podem ser obtidas também pelo email  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e no CRAS pelo Fone: 42-3573-1623

 

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO PRONATEC

NAS ÁREAS DE RECURSOS NATURAIS, INFRAESTRUTURA, GESTÃO E NEGÓCIOS, PRODUÇÃO INDUSTRIAL, DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL, AMBIENTE E SAÚDE, PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA, SEGURANÇA, INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO.

INSCRIÇÕES ABERTAS

NO CRAS ATÉ O DIA 20/10/2017 DAS 8H ÀS 17H

O Governo Federal disponibiliza diversos programas que incentivam a população a se especializar. O Pronatec 2017 tem a função de democratizar o ensino profissional e tecnológico para o maior número de pessoas. Disputar uma vaga de trabalho hoje em dia requer uma enorme experiência e preparação. Quanto mais qualificado você for, mais bem colocado você ficará no processo seletivo e nas entrevistas de emprego. O Pronatec 2017 surge como uma alternativa para você se profissionalizar e garantir uma vaga no mercado de trabalho. Ressaltando que todos os cursos oferecidos são gratuitos e totalmente custeados pelo Governo Federal.

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO PRONATEC

NAS ÁREAS DE RECURSOS NATURAIS, INFRAESTRUTURA, GESTÃO E NEGÓCIOS, PRODUÇÃO INDUSTRIAL, DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL, AMBIENTE E SAÚDE, PRODUÇÃO ALIMENTÍCIA, SEGURANÇA, INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO.

INSCRIÇÕES ABERTAS

NO CRAS ATÉ O DIA 25/10/2017 DAS 8H ÀS 17H

O Governo Federal disponibiliza diversos programas que incentivam a população a se especializar. O Pronatec 2017 tem a função de democratizar o ensino profissional e tecnológico para o maior número de pessoas. Disputar uma vaga de trabalho hoje em dia requer uma enorme experiência e preparação. Quanto mais qualificado você for, mais bem colocado você ficará no processo seletivo e nas entrevistas de emprego. O Pronatec 2017 surge como uma alternativa para você se profissionalizar e garantir uma vaga no mercado de trabalho. Ressaltando que todos os cursos oferecidos são gratuitos e totalmente custeados pelo Governo Federal.

O CRAS realizou no dia 13 de setembro com o grupo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) o curso de culinária Alimentação Saudável. As participantes tiveram a oportunidade de aprender  na prática as receitas de alimentos básicos para uma alimentação saudável diária. O curso tem parceria com a CRESOL onde disponibiliza a instrutora mensalmente para ministrar o curso. A Técnica  responsável pelo grupo é a  Psicóloga  Cristiane Mary Baniski, que reforça que o curso é importante para a melhora da qualidade de vida das usuárias do CRAS e de suas famílias, pois através dele, as mesmas poderão utilizar o conhecimento adquirido no curso para diversificar e incrementar a alimentação, aplicando às receitas aprendidas, que utilizam produtos básicos do  dia  a dia como feijão, o fubá e os temperos. 

O CRAS realizou no dia 13 de setembro com o grupo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) o curso de culinária Alimentação Saudável. As participantes tiveram a oportunidade de aprender  na prática as receitas de alimentos básicos para uma alimentação saudável diária. O curso tem parceria com a CRESOL onde disponibiliza a instrutora mensalmente para ministrar o curso. A Técnica  responsável pelo grupo é a  Psicóloga  Cristiane Mary Baniski, que reforça que o curso é importante para a melhora da qualidade de vida das usuárias do CRAS e de suas famílias, pois através dele, as mesmas poderão utilizar o conhecimento adquirido no curso para diversificar e incrementar a alimentação, aplicando às receitas aprendidas, que utilizam produtos básicos do  dia  a dia como feijão, o fubá e os temperos. 

Pagina 1 de 2

CONVITE AUDIÊNCIA PUBLICA

Convidamos os munícipes de Porto Vitória-PR para

Veja mais

Lista de Espera

EDITAL MATRICULAS

Em anexo Edital nº 001/2017, da Secretaria de Educação

Veja mais

FAMÍLIAS PODEM SE CADASTRAR NO CRAS

FAMÍLIAS BENEFICIÁRIAS DE PROGRAMAS SOCIAIS do Governo

Veja mais

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO PRONATEC

NAS ÁREAS DE

Veja mais

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO

CURSOS A DISTÂNCIA GRATUITOS DO PRONATEC

NAS ÁREAS DE

Veja mais

CRAS e CRESOL oferecem curso de

O CRAS realizou no dia 13 de setembro com o grupo Serviço

Veja mais

CRAS e CRESOL oferecem curso de

O CRAS realizou no dia 13 de setembro com o grupo Serviço

Veja mais